O estudo conduzido pela Preply revela quais são os idiomas mais populares entre as diferentes profissões e como esse conhecimento pode trazer oportunidades

segundo-idioma-para-o-mercado-de-trabalho Estudo revela a importância de um segundo idioma para o mercado de trabalho

Quando pensamos no mercado de trabalho, sabemos como o domínio de um segundo idioma pode impactar o emprego do brasileiro. Pensando nisso, a Preply, plataforma de idiomas que conecta alunos e professores online, conduziu um estudo para entender quais são os idiomas mais usados no trabalho, além de desmistificar as percepções dos brasileiros quando o assunto é carreira e idiomas.

O estudo conduzido com cerca de mil pessoas revelou que, para 61% dos entrevistados, o aprendizado de idiomas dá acesso a um leque mais diversificado de clientes e possibilidades de trabalho, ao passo de que 53% concordam que dominar mais de um idioma é o principal diferencial no currículo de quem busca uma posição liderança.

Para 59%, o domínio de mais de uma língua proporciona oportunidades de trabalho com salários mais atrativos. Inclusive, é também possível trabalhar ensinando, como ser um professor de português, por exemplo.

Para quase metade dos entrevistados, ter pessoas que falam diferentes idiomas no local de trabalho contribui para um ambiente mais inovador e produtivo e ter conhecimento em outro idioma é algo necessário em todos os empregos atualmente (47% e 46% respectivamente).

Veja também:  Como mudar a fonte do WhatsApp? (Negrito, Sublinhado, Itálico, Fontes)

Desafios pela falta do segundo idioma

Quando perguntados sobre as dificuldades enfrentadas pela falta de um segundo idioma, 15% afirmaram que já deixaram de ser contratados e 14% perderam a oportunidade de uma promoção pela ausência do segundo idioma.

Além disso, 12% dos respondentes revelaram ter passado algum tipo de constrangimento por não entenderem uma informação de clientes internacionais e 11% afirmam ter perdido oportunidades de participar em eventos que aconteceriam fora do Brasil. Por fim, 9% afirmaram que oportunidades de colaborar em projetos globais foram passadas para outras pessoas pois não falavam outro idioma.

O processo seletivo pode ser um momento estressante e desafiador também. Ter que se comunicar em outro idioma durante esse momento tenso pode intensificar a insegurança de muitos participantes no momento da entrevista de emprego. 36% dos respondentes revelaram já ter participado de entrevistas e testes práticos em outras línguas. Outros 14% destacaram que suas habilidades linguísticas foram avaliadas apenas por meio da apresentação de certificados de proficiência durante o processo seletivo.

Profissões X Idiomas

Na área de tecnologia, para quem utiliza um segundo idioma no trabalho, o mais utilizado é o inglês, liderando com 44%, seguido do espanhol com 23%. No âmbito educacional, o inglês também é a língua predominante, representando 20%, enquanto o espanhol ocupa a segunda posição com 11% e o francês com 4%.

Veja também:  Lotérica aberta agora: Encontre o endereço mais próximo

Relativamente aos profissionais que falam outras línguas, embora não necessariamente utilizadas no seu trabalho diário, os líderes são profissionais do setor tecnológico, com 23% a afirmar que falam outras línguas e não apenas o português. Seguido por 11% na educação.

A jornada de aprendizado de um novo idioma pode ser encarada não apenas como uma necessidade, mas como uma oportunidade empolgante de crescimento pessoal e profissional, proporcionando a todos a chance de alcançar seus objetivos. Hoje, essa trajetória é facilitada devido às mudanças nas formas de estudo nos últimos anos.

Se, anteriormente, era necessário ir até uma escola para estudar um novo idioma, atualmente, isso é possível ser feito no conforto do lar, como aulas de francês. Um exemplo é a plataforma da Preply, que viabiliza o aprendizado no conforto do lar, tornando o desenvolvimento linguístico mais acessível e conveniente para aqueles que buscam aprimorar suas habilidades e ampliar suas perspectivas profissionais.