Ex-chefe da Ferrari, Stefano Domenicali será o novo presidente da Fórmula 1

A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (25/9) que terá um novo chefe. O italiano Stefano Domenicali assume o posto de presidente da categoria a partir de 2021 no lugar do americano Chase Carey. O próximo chefão da F1 tem no currículo a experiência de ter liderado a Ferrari de 2008 a 2014 e nos últimos anos esteve no cargo de diretor-executivo da Lamborghini e no papel de presidente da comissão de monopostos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA, na sigla em francês).“Estou emocionado em me juntar a organização Fórmula 1, um esporte que sempre fez parte da minha vida. Eu nasci em Imola e vivi em Monza. Permaneci conectado com o esporte através do meu trabalho na FIA e estou ansioso para me conectar com as equipes, promotores, patrocinadores e muitos parceiros da Fórmula 1”, disse Domenicali. O italiano tem formação em administração e negócios e iniciou a carreira no automobilismo como funcionário do departamento financeiro da Ferrari.Mais sobre o assuntoAutomobilismoPresidente da Ferrari aponta erros no carro atual e prevê vitórias em 2022″Tivemos vários problemas que não conseguimos resolver na aerodinâmica do carro e na potência do motor”, reconheceu o dirigenteAutomobilismoFerrari tem o pior início desde 2010 e imprensa italiana detona: “Pesadelo”Ex-diretor da Scuderia afirma que um dos problemas tem sido lidar com a mídiaDe saída do cargo de chefe da Fórmula 1, Carey ocupará a partir do próximo ano o posto de diretor não-executivo. “Estou orgulhoso da equipe que não apenas navegou através de um desafiador 2020, mas agregou propósito e determinação na sustentabilidade, diversidade e inclusão. Estou confiante de que construímos uma base forte para que o negócio continue a crescer”, comentou o americano.Domenicali chegará ao cargo com a missão de conduzir as negociações sobre o novo regulamento técnico da categoria, previsto para ser aplicado em 2022. Inicialmente o plano era ter essas regras em vigor já em 2021, porém a pandemia do novo coronavírus e a remarcação de várias provas do calendário atual forçaram os dirigentes a rever o cronograma e adiar as discussões.O dirigente italiano deixou a Ferrari no início de 2014 ao ser substituído por Marco Mattiacci. Na sequência, comandaram a escuderia Maurizio Arrivabene e Mattia Binotto, atual chefe. Já no caso do comando da Fórmula 1, Chase Carey estava no posto desde o final de 2016, quando o grupo Liberty Media finalizou o processo de compra e Bernie Ecclestone acabou afastado.

Fonte: Metropoles