Venda de TikTok ainda levanta dúvidas sobre quem terá controle

(Bloomberg) – A saga da venda do TikTok parece ter chegado a uma conclusão no fim de semana, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou o negócio. O acordo permitiria à Oracle e ao Walmart comprarem uma participação minoritária em uma nova entidade conjunta, chamada TikTok Global. “Dei minha bênção ao negócio”, disse Trump.Mas a harmonia durou pouco. Apenas um dia depois de Trump prometer “nenhum envolvimento chinês”, a ByteDance, controladora do TikTok com sede em Pequim, disse que ficaria com 80% do controle da nova empresa.  Entenda mais sobre a guerra tecnológica protagonizada pelo TikTok, envolvendo China e EUA.Por outro lado, a Oracle disse que a ByteDance acabaria cedendo suas ações. Em comunicado ao Wall Street Journal, o vice-presidente executivo da Oracle, Ken Glueck, disse que assim que o TikTok Global for criado, “os americanos serão a maioria [acionistas], e a ByteDance não terá a propriedade”. É raro que partes envolvidas em um grande negócio discordem tão radicalmente sobre os detalhes, dizem analistas.

Uma das principais razões para a discrepância reside nas visões divergentes sobre a distribuição das ações do TikTok. Uma proporção que tem sido divulgada pela Oracle e pelo Walmart é que investidores americanos controlarão mais de 50% do novo TikTok Global. A princípio, isso parece estar em desacordo com a insistência da ByteDance de que terá uma participação de 80% na empresa.Mas cidadãos americanos possuem uma fatia significativa da própria ByteDance: investidores dos EUA, como General Atlantic e Coatue, controlam 40% da gigante chinesa de Internet, disseram pessoas a par do assunto. Isso significa que, em teoria, também possuirão 40% da participação da ByteDance no TikTok. Combinado com os 20% da Oracle e do Walmart, o controle de investidores americanos sobe para mais da metade.Mesmo com a ênfase da Oracle e do Walmart no controle americano, declarações da ByteDance mostraram que a empresa pode não estar inclinada a ceder o controle do TikTok Global para seus investidores americanos.Se a ByteDance de fato continuar a ser a maior acionista, dependendo de como o negócio for estruturado, a empresa poderia ter direito a voto, conferindo maior autoridade de tomada de decisão do que a concedida aos acionistas minoritários do TikTok.A matemática exata pode não importar muito, dada a exigência de Trump de que a China não se envolva no novo TikTok. Dan Ives, analista da Wedbush Securities, acredita que a participação acionária de 50% dos EUA é importante para o governo Trump, mas Ives não vê a ByteDance saindo de cena totalmente. “A ByteDance ainda terá um papel significativo no TikTok”, disse Ives. “Qualquer sugestão dizendo o contrário seria equivocada.”A simples diluição da participação de 80% da ByteDance na empresa com investimentos dos EUA pode não ser suficiente para Trump. “Algo precisa ceder, porque você não pode ter 80% e 0% ao mesmo tempo”, disse Mark Shmulik, analista da AB Bernstein.

 

Fonte: InfoMoney