Na ONU, Bolsonaro diz que Brasil é vítima de ‘brutal campanha de desinformação’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em discurso para a Assembleia das Nações Unidas (ONU) que o Brasil é “vítima” de uma campanha “brutal” de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal. O discurso de Bolsonaro foi exibido nesta terça-feira (22) em vídeo pré-gravado. Por conta da pandemia de covid-19, a reunião tem base na sede da entidade, em Nova York, mas acontece virtualmente.

Bolsonaro afirmou que o Brasil tem a “melhor legislação” em relação ao meio ambiente que todos os outro países. Afirmou também que seu governo respeita essas regras e combate queimadas ilegais.
“Mesmo assim, somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal”, disse o presidente, que em seguida afirmou que há “interesses escusos” por trás dos ataques.”A Amazônia brasileira é sabidamente riquíssima, isso explica o apoio de instituições internacionais a essa campanha escorada em interesses escusos que se unem a associações brasileiros, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudica o governo e o próprio Brasil”, declarou.

Ele afirmou também que a floresta amazônica é úmida e, por isso, o fogo não se espalha pelo interior da mata, acontecendo sempre nos mesmos pontos. Ele citou “índios e caboclos” como pessoas que ateiam fogo para conseguir o sustento.
“Nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior. Os incêndios acontecem praticamente, nos mesmos lugares, no entorno leste da Floresta, onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sua sobrevivência, em áreas já desmatadas”, disse.
Para o presidente, o fato do Brasil ser uma “potência” no agronegócio gera a campanha. “O Brasil desponta como o maior produtor mundial de alimentos. E, por isso, há tanto interesse em propagar desinformações sobre o nosso meio ambiente”, disse.

No encerramento do seu discurso, Bolsonaro afirmou que o Brasil é um país conservador e que a família é a base para os brasileiros.
O representante brasileiro faz discurso inaugural do debate-geral da ONU desde 1949. Essa foi a segunda vez que coube a Bolsonaro este papel.
Logo após a fala de Bolsonaro, a representante americana introduziu o vídeo com discurso do presidente Donald Trump, dos EUA, que atacou fortemente a China por conta da pandemia do novo coronavírus.
Ainda serão transmitidos discursos dos presidentes Tayyip Erdogan (Turquia), Xi Jinping (China) e Sebastián Piñera (Chile).

Fonte: Correio24horas