Bolsonaro diz que incêndios na Amazônia são feitos por índios e caboclos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (22/9) que os incêndios registrados na Amazônia e no Pantanal foram feitos por “índios e caboclos em busca de sobrevivência”.A fala foi proferida durante discurso na 75ª edição da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Bolsonaro defendeu políticas ambientais do governo e a gestão da pandemia do novo coronavírus.“Os incêndios acontecem, praticamente, nos mesmos lugares, no entorno leste da floresta, onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sua sobrevivência, em áreas já desmatadas”, disse.Solenidade de Lançamento do Programa Abrace o Marajó. BrasíliO presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma série de publicações no Twitter na manhã dessa segunda-feira (14/9) nas quais classificou como “absurdas” as multas às igrejasIgo Estrela/MetrópolesBolsonaro participa da manifestação na rampa do PlanaltoO mandatário da República afirmou ter sido “obrigado” a sancionar o fundo partidário de R$ 2 bilhões para partidos políticos financiarem as eleiçõesHugo Barreto/MetrópolesBrasília (DF), 11/04/20 Bolsonaro visita Hospital de Campanha cHugo Barreto/MetrópolesColetiva de imprensa sobre disseminação do Corona Virus. BrasO Diário Oficial da União desta segunda trouxe a sanção presidencial de dispositivo que confirma a isenção de contribuição previdenciária dos pagamentos feitos por igrejas a religiosos de diversas crenças. Além disso, o texto traz a anulação de multas impostas por esse motivoIgo Estrela/MetrópolesColetiva de imprensa sobre disseminação do CoronavirusBolsonaro também se disse “obrigado a vetar” trecho sobre isenção da contribuição por igrejas sobre o lucro líquido. Segundo o chefe do Executivo, o motivo foi evitar um “quase certo processo de impeachment” por desobediência às leis de Diretrizes Orçamentárias e Responsabilidade FiscalIgo Estrela/MetrópolesPresidente Jair Bolsonaro em comércios carnes em Taguatinga durante pandemiaHugo Barreto/MetrópolesBrasília (DF), 29/04/20 Solenidade de posse dos ministros da Ju”Confesso, caso fosse deputado ou senador, por ocasião da análise do veto que deve ocorrer até outubro, votaria pela derrubada do mesmo”, disse Bolsonaro sobre o veto que ele próprio assinouHugo Barreto/MetrópolesFoto: Myke Sena/ Especial MetrópolesPresidente Bolsonaro durante pandemia uso de máscaraRafaela Felicciano/MetrópolesPresidente Bolsonaro durante pandemia uso de máscaraRafaela Felicciano/MetrópolesPresidente Bolsonaro durante pandemia uso de máscaraBolsonaro durante coletiva no Palácio do PlanaltoRafaela Felicciano/MetrópolesPandemia – Jair Bolsonaro fala com apoiadores na AlvoradaBolsonaro encorajou a população a entrar nos hospitais e filmar os leitos de UTIRafaela Felicciano/MetrópolesPresidente Bolsonaro sugere isolamento vertical – saida da alvoradaRafaela Felicciano/Metrópoles0No acumulado do ano, o Pantanal registrou o maior número de focos de incêndio desde o início da série histórica medida pelo Inpe, em 1998. Na Amazônia, foram mais de 70 mil focos até o momento.Mais sobre o assuntoPolíticaONU: Bolsonaro abrirá assembleia com defesa da gestão ambiental e Covid-19Presidente gravou o discurso no último dia 16; vídeo será exibido às 10h desta terça-feira (22/9)PolíticaBolsonaro vai rebater críticas em discurso na Assembleia Geral da ONUFala do presidente deve insistir na tese de que questão ambiental é usada para perseguir o país e defenderá atuação na pandemiaPolíticaCarlos Bolsonaro prevê panelaço e reclama de “ONGs vagabundas”O filho do presidente usou as redes sociais para fazer um alerta sobre “panelaços” durante discurso do pai na ONU, nesta terçaDinoCGTN: China faz propostas para o papel da ONU na era pós-pandemiaA Organização das Nações Unidas (ONU), que começou com 51 signatários no final da Segunda Guerra Mundial, agora cresceu para ser um organismo de 193 nações. Ao comemorar seu 75º aniversário de fundação, a organização e o multilateralismo que representa enfrentam desafios sem precedentes com o surgimento do unilateralismo e do protecionismo. Este comunicado de […]Bolsonaro alegou que a floresta é úmida e, por isso, não permite a propagação do fogo no interior. Segundo ele, no entanto, os focos criminosos são combatidos com rigor e determinação.Ainda sobre a Amazônia, o presidente disse também que as grandes queimadas “são consequências inevitáveis da alta temperatura local, somada ao acúmulo de massa orgânica em decomposição”.“Mantenho minha política de tolerância zero com o crime ambiental. Juntamente com o Congresso, buscamos a regularização fundiária, visando identificar os autores desses crimes”, afirmou.

Fonte: Metropoles