Arquivos

Categorias

  • Nenhuma categoria

Ibovespa Futuro sobe com expectativa por sinalização de tolerância à inflação do Fomc; dólar cai

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre em alta nesta quarta-feira (16) com a expectativa pela decisão de juros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). Os investidores esperam que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, reitere a mensagem de maior tolerância com a inflação sinalizada em seu discurso em Jackson Hole.No Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve manter a taxa básica de juros, Selic, em 2% ao ano. A dúvida é se o Banco Central falará sobre o ambiente fiscal depois do sepultamento do Renda Brasil na véspera. Apesar do fim do programa reduzir a pressão nos gastos públicos, ainda há dúvidas sobre o que poderá vir no lugar dele quando acabar o prazo do Auxílio Emergencial.Às 09h08 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para outubro tinha alta de 0,32%, aos 100.745 pontos.

O dólar futuro para outubro tem queda de 0,7%, a R$ 5,241.No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 tem baixa de dois pontos-base a 2,84%, o DI para janeiro de 2023 perde dois pontos-base a 4,13%, o DI para janeiro de 2025 recua quatro pontos-base a 5,99% e o DI para janeiro de 2027 varia negativamente três pontos-base a 7,00%.Daqui para frente, o foco da equipe econômica deve ser a desoneração da folha de pagamento e a criação de um novo imposto sobre transações. No entanto, fontes do governo, segundo o Globo, dizem que a ideia do Renda Brasil não foi totalmente enterrada porque o presidente ainda deseja deixar sua marca na área social.Enquanto ontem foi dia de divulgação de dados fortes da produção industrial e das vendas do varejo na China, hoje o Japão revelou uma queda de 14,8% nas exportações e em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado.A expectativa era de uma queda de 16,1%, segundo a Reuters. Também no Japão, Yoshihide Suga foi eleito primeiro-ministro.Pós-Renda BrasilDepois do anúncio de que o governo desistiu do programa Renda Brasil, a equipe econômica deve se focar na desoneração da folha de salários, de acordo com o Estado de S.Paulo. A intenção da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, é reduzir os custos dos empregadores e impulsionar a geração de empregos.

A ideia inicial era apresentar a proposta ao presidente Jair Bolsonaro hoje, mas depois do anúncio da véspera, a apresentação ainda não tem data definida. Segundo o jornal, para fazer a desoneração da folha precisará ser criado um novo imposto sobre transações. Ou seja, também será preciso convencer o presidente sobre o imposto.Além disso, existe uma expectativa de que o governo reforçará o Bolsa Família para evitar uma queda da popularidade do presidente depois do encerramento do auxílio emergencial. Segundo a Folha de S.Paulo, auxiliares do presidente querem aumentar a verba disponível para o programa de transferência de renda, ainda que mantendo o nome ligado à marca petista.Cartão vermelhoOntem, o presidente declarou que daria um “cartão vermelho” a quem propuser congelar aposentadorias para financiar o Renda Brasil. Mais tarde, o ministro Paulo Guedes disse que a fala não foi direcionada a ele.As declarações causaram impacto no mercado, mas a imprensa noticiou hoje que o Renda Brasil não foi enterrado definitivamente. Segundo o jornal O Globo, o presidente ainda não desistiu de imprimir sua marca na área social e ainda deve insistir no programa.Já segundo a Folha, o Congresso está acelerando a discussão de projetos que possam criar um programa de renda mínima mais abrangente que o Bolsa Família. A intenção dos deputados é articular a votação de projetos para criar uma renda mínima que inclua mais brasileiros de baixa renda que o Bolsa Família, que hoje atende 14,3 milhões de famílias.Ainda no noticiário nacional, a bancada evangélica no Congresso deve se reunir hoje com o presidente Jair Bolsonaro. O encontro ocorre depois de o presidente ter vetado o perdão às dívidas tributárias das igrejas.Também chama atenção a declaração feita na noite de ontem pelo presidente norte-americano Donald Trump. Segundo ele, uma vacina contra o coronavírus pode sair daqui a três ou quatro semanas. A fala de Trump reforça previsões feitas por autoridades de saúde pública dos EUA e laboratórios no início deste mês.Radar CorporativoNo noticiário de empresas, um dos destaques é a troca de US$ 4 bilhões em notes da Petrobras por títulos registrados na SEC. Além disso, a Klabin chamou assembleia para decidir sobre a incorporação da Sogemar, que detém a marca Klabin.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aceitou um acordo de R$ 7 milhões para encerrar um processo envolvendo a B3, enquanto a Gol deve enfrentar uma ação coletiva de investidores nos Estados Unidos. Outro destaque é o desdobramento de ações aprovado pela Raia Drogasil.

Fonte: InfoMoney