Arquivos

Categorias

  • Nenhuma categoria

Menor procura por provas práticas no Detran faz sobrar vagas para exame

Faltava menos de uma semana para a estudante Carla Cajado, 21 anos, fazer a prova prática para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) quando a pandemia suspendeu o processo, em 18 de março. Com a retomada dos exames práticos no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA), em Salvador, ela está com o teste marcado para a próxima quinta-feira.

Assim como a jovem, outros aspirantes a motorista já marcaram a data para realizar esse último passo na busca pela carta, mas quantidade de pessoas que procura pelos exames ainda é menor que a capacidade de atendimento do órgão. Tá sobrando vaga no Detran.
Entre 27 de agosto e 10 de setembro, foram 798 candidatos inscritos para os testes de 1ª habilitação, mudança ou adição de categoria em Salvador. Antes da pandemia, eram realizadas no mesmo período, mais de mil avaliações. Dentre os que realizaram os exames, foram 405 aprovados (50,7%), 244 reprovados (30,5%) e 148 não compareceram (18,5%). Para os dias 11 e 14 de setembro, foram marcados 305 exames práticos.
De acordo com o coordenador de exames do Detran-BA, Heraldo Neto, a demanda é menor que a expectativa do órgão: “Foram meses de atividades interrompidas. Por esse período parados, acreditávamos que mais pessoas procurariam o serviço já que a demanda foi reprimida, mas não estamos percebendo isso”. O coordenador ainda complementa que, apesar da expectativa do boom nos testes não ter sido batida, a quantidade de exames realizada é positiva.

Atualmente, o Detran-Ba em Salvador oferta 240 vagas diárias para os exames das categorias A (moto) e B (carro). Também são oferecidos testes para as carteiras D (van e micro-ônibus), E (carreta), C (caminhão não articulado), que só podem ser tiradas por motoristas já habilitados e “nunca passam dos 30 testes diários”, segundo Neto.
O pico máximo registrado antes da pandemia era de cerca de 300 testes práticos diários. Neto acredita que a redução na procura é fruto de vários fatores. Dentre eles, a insegurança dos alunos que ficaram meses sem praticar a direção e temem realizar o exame antes de uma reforçada no treinamento.
“Muitas pessoas ficaram muito tempo paradas e, como se trata da 1ª habilitação, estas devem estar praticando antes de fazerem o teste. Ainda existe o cuidado pessoal, já que alguns alunos buscam evitar a exposição desnecessária ao risco de contrair a covid-19”, comenta o coordenador, que cita ainda o aperto no orçamento como mais um motivo para adiar o teste.

Com menos marcações, sobram horários disponíveis para ralizar exame prático para CNH (Foto: Nara Gentil/CORREIO) Ainda de acordo com ele, algumas autoescolas menores ainda não conseguiram se organizar para retomar as atividades depois de tanto tempo paradas, o que também reduz a quantidade de testes práticos marcados. “A retomada dos exames ao patamar anterior à pandemia deve ocorrer de forma gradual”, calcula Neto.
Para o presidente Sindicato das Autoescolas e Centros de Formação de Condutores (Sindauto-BA), Wellington Oliveira, a quantidade de exames vai crescer com o decorrer do tempo, pois mais alunos irão se sentir confortáveis para encarar a prova.

Proprietário e diretor da Autoescola Copiauto, Francisco de Assis ressalta que alguns de seus alunos informaram que devem esperar um pouco mais antes de retomar o processo da 1ª habilitação –  parte está no interior e outros ainda estão isolados em casa.
“Na nossa autoescola, 11 pessoas fizeram o teste na semana passada. Meus alunos estão voltando aos poucos e muitos optaram por fazer umas aulas práticas extras”, comenta.
A estudante Maria Eduarda Lins, 21, estava aproveitando as férias do cursinho para adiantar as aulas teóricas na autoescola. Quando a pandemia suspendeu as atividades, faltavam apenas quatro práticas para que ela pudesse marcar o exame final para tirar a carteira. Com a retomada das atividades, ela finalizou as pendências e está com a prova marcada no Detran.

“Fiquei acompanhando o processo e marquei minhas aulas assim que a autoescola reabriu. Estava tão ansiosa que só queria ter minha carteira, não fiquei com medo do coronavírus”, conta a estudante, que estava com medo de ter perdido a prática com os meses que ficou sem praticar a direção, mas, agora, se sente confiante para o teste.
Procura  Desde a reabertura, permitida por decreto publicado no Diário Oficial do Município em 25 de agosto, as autoescolas, em geral, têm atendido aos alunos que tiveram o processo para tirar a habilitação suspenso pela epidemia, afirma o presidente do Sindauto.
“Poucas pessoas que vão iniciar o processo da 1ª habilitação têm nos procurado, ainda mais na 1ª semana da reabertura. Fomos muito contatados por aqueles que tiveram o processo interrompido pela pandemia e queria concluir essa etapa”, explica Oliveira.
Diferentemente do que aponta o presidente da entidade, a procura para iniciar o processo da 1ª habilitação surpreendeu o dono da autoescola Copiauto: “Acredito que exista uma demanda retraída. Temos aqui cerca de 30 alunos que completaram 18 anos durante a pandemia. Está uma procura muito boa, ouso dizer que até um pouco melhor que a desse período do ano passado”, afirma Assis.
Além da sobras de vagas, o número de pessoas que faltam os exames práticos já marcados também registrou crescimento, aponta o Detran. Segundo o presidente do Sindauto, cerca de 15% dos alunos com o teste marcado faltavam na data combinada. Agora, o percentual subiu para 18,5%, apontam os dados das últimas duas semanas compilados pelo Detran-BA.
“As ausências estão além do normal”, afirma o coordenador do Detran. Para Assis, parte das faltas pode ser explicada pela necessidade dos alunos de praticarem um pouco mais: “Acontece da prova ser reagendada e os alunos não conseguirem fazer as aulas extras e se sentirem inseguros para ir para o teste”.
Confira as principais medidas de prevenção do contágio pelo coronavírus nas autoestocas e no Detran
Provas no DetranDeverá o candidato utilizar seu próprio capacete (modelo que atenda a legislação vigente), sendo vedado o compartilhamento de capacetes dos CFC’s Fica vedada a presença de acompanhantes ou terceiros no local de prova, incluindo candidatos com provas já finalizadas Fica obrigatório o distanciamento social de 1,5m em todos os locais das provas Os candidatos deverão levar caneta própria caso tenha que assinar ou preencher qualquer formulário. Antes do início das aulas práticas, o veículo deverá ser desinfectado com álcool a 70%, tanto o instrutor quanto o aluno, deverão lavar as mãos com água e sabão, bem como  fazer a sua higienização com o uso de álcool em gel a 70% Durante as provas práticas, é obrigatório o uso de máscaras descartáveis ou de tecido, tanto pelo instrutor como o aluno Durante as aulas e provas práticas, é obrigatório que as janelas do veículo permaneçam abertas, permitindo uma melhor circulação e renovação do ar. No caso da necessidade de utilização do ar condicionado em situação de chuva, recomenda-se sua utilização em modo aberto, devendo a limpeza dos filtros do ar condicionado ser intensificada Após cada aula e prova prática, o interior do veículo deverá ser limpo e higienizado com álcool em gel a 70%  Ao término e cada expediente, os veículos devem ser lavados e higienizados com soluções sanitizantes Aulas nas autoescolasAs aulas teóricas serão realizadas exclusivamente por meio virtual e as aulas práticas,de segunda a sábado, das 10h às 19h No momento do agendamento das aulas práticas o aluno deverá informar se apresentou algum sintoma compatível com Covid-19 nos últimos 14 dias ou se manteve contato com pessoas identificadas ou suspeitas de estarem infectadas com a doença e, em caso afirmativo, a uma destas perguntas, o agendamento deverá ser adiado por, pelo menos, 14 dias É recomendada a não participação dos alunos pertencentes ao grupo de risco Os protocolos geral e setorial deverão ser afixados em locais visíveis ao público, próximo às entradas dos estabelecimentos É obrigatório o uso de máscara nas auto escolas e deve-se respeitar o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas Deverá ser realizada, no mínimo duas vezes ao dia, a higienização de todo o ambiente com desinfetantes adequados A temperatura dos instrutores e dos demais funcionários deverá ser aferida diariamente, antes do início das atividades e caso algum colaborador apresente temperatura igual ou superior a 37,5 °C, ou sintomas gripais, este deverá ser afastado provisoriamente do trabalho para avaliação médica e conduta subsequente A comunicação entre as autoescolas e os alunos e/ou seus responsáveis deve ser preferencialmente por meio eletrônico, evitando a distribuição de papéis Não poderá haver a oferta de bebidas e comidas aos alunos; todos os itens fáceis de tocar deverão ser retirados do local É proibido o uso de bebedouros nas áreas comuns O  leitor biométrico deve ser higienizado com álcool isopropílico após cada uso As aulas práticas devem ser realizadas com apenas 1 aluno por veículo, mantendo-se os vidros do veículo abertos, sendo vedado o uso de ar condicionado O instrutor e o aluno devem utilizar máscaras durante toda a aula prática, sendo que o instrutor, além da máscara, também terá que usar face shield Deverá ser disponibilizado álcool em gel 70% em todos os veículos Volante, câmbio, freio de mão, maçaneta, espelhos retrovisores, cintos de segurança, tablets e todos os outros pontos de contato nos veículos deverão ser higienizados antes e após cada aula prática É necessário um intervalo mínimo de 10 minutos entre cada aula prática para que seja realizada a higienização adequada dos veículos Para aulas com motocicletas, fica proibido o empréstimo ou compartilhamento de capacetes e quaisquer outros equipamentos As motocicletas devem ser higienizadas ao final de cada aula Ao término do período diário de aulas, todos os veículos devem ser higienizados  As aulas práticas só poderão ser realizadas mediante agendamento prévio e deve ser permitida a realização de até duas aulas práticas consecutivas por aluno Cada instrutor deve ser designado a um único veículo, devendo-se manter o registro dos instrutores e alunos que utilizaram cada um dos veículos.

Fonte: Correio24horas