Arquivos

Categorias

  • Nenhuma categoria

Ryanair critica ‘má gestão’ da crise de Covid por governos

(Bloomberg) — Michael O’Leary, diretor-presidente da Ryanair, criticou governos pela forma de lidar com a pandemia de coronavírus. Segundo o executivo, a resposta ineficaz à crise aumentou as dificuldades das companhias aéreas.Líderes no Reino Unido e na Irlanda estão focados nos dados errados, como a taxa diária de casos de coronavírus, e devem se esforçar mais em programas de teste e rastreamento para fazer a economia andar, disse o CEO da companhia aérea na terça-feira, em entrevista à Bloomberg Television. Ele também criticou as medidas de quarentena britânicas e a mudança de regras em Londres.“É, em grande parte, má gestão política”, disse O’Leary. “Os alemães e italianos são muito mais eficazes.” As esperanças de companhias aéreas de uma recuperação no verão foram frustradas pelo aumento dos casos de coronavírus e pela mudança das restrições, muitas vezes sem aviso prévio.Isso interferiu nas viagens e diminuiu o interesse de passar férias no exterior. A Ryanair, que tem sede em Dublin, e outras operadoras revisaram a programação de voos e estão recorrendo a mais cortes de custos e captação de fundos para enfrentar o inverno de menor demanda.“O governo precisa propor algumas medidas para dar uma pausa às companhias aéreas e ao setor aéreo neste inverno”, disse O’Leary, repetindo um apelo da indústria para reduzir tarifas para passageiros no Reino Unido.Debate sobre testesO governo do Reino Unido minimizou os benefícios da introdução de testes em aeroportos, dizendo que uma quarentena mais longa ainda é necessária. O governo tem adotado medidas que estimulam o consumo, como incentivar a volta aos escritórios, restaurantes e pubs, mas ao mesmo tempo decidiu limitar as reuniões públicas para combater a propagação da doença.Continuar exigindo o isolamento de passageiros que chegam prejudicará as viagens de negócios durante o outono, disse O’Leary.Embora as pessoas ainda estejam viajando, principalmente para eventos familiares, como batizados ou casamentos, “há um certo nervosismo”, disse. “É isso que precisamos que o governo resolva.”

 

Fonte: InfoMoney