Arquivos

Categorias

  • Nenhuma categoria

Covaxx e Dasa anunciam testes de vacina contra Covid-19 no Brasil

A farmacêutica Covaxx anunciou na manhã desta quarta-feira (9/9) que iniciará os testes clínicos de fases 2/3 de sua candidata à vacina contra a Covid-19 no Brasil. O estudo será conduzido pelo grupo Dasa com, no mínimo, 3 mil voluntários distribuídos em centros de pesquisa do país.Esta fase dos testes tem o objetivo de verificar a eficácia e segurança da vacina. Em coletiva de imprensa, o diretor médico da Dasa, Gustavo Campana, afirmou que o recrutamento dos voluntários acontecerá até o fim de 2020, a partir de um banco de dados de testes de Covid-19.O estudo será conduzido ao longo de 12 meses, expandido por até dois anos para a avaliação de segurança do imunizante. Ele deve começar assim que os resultados da fase 1, conduzida em Taiwan com 60 pacientes, forem divulgados.De acordo com representantes das duas empresas, o estudo preliminar da vacina tem demonstrado alto potencial de resposta imunológica e de segurança.Mais sobre o assuntoSaúde5 mil voluntários do Brasil receberam vacina de Oxford sem reações gravesA informação é da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), uma das instituições responsáveis por realizar o estudo de fase 3 no paísSaúdeCovid-19: farmacêuticas assinam compromisso histórico pelo rigor de vacinasAstraZeneca, Pfizer, GlaxoSmithKline e outras seis empresas se comprometeram a obedecer regras bem estabelecidas nos estudos de suas vacinasSaúdeGoverno britânico sobre teste de vacina suspenso: “Não é a primeira vez”Estudo da farmacêutica AstraZeneca sobre Covid-19 precisou parar após pesquisadores identificarem doença séria provocada pelo imunizante SaúdePesquisadores questionam resultados da vacina russa contra a Covid-19Grupo de 19 cientistas diz que há padrões estranhos e duplicados nos dados publicados na última semanaDe acordo com a diretora e co-fundadora do Covaxx, Mei Mei Hu, a vacina foi desenvolvida a partir da plataforma de vacina UBITh Peptide, baseada em peptídios, que tem sido usada para desenvolver outras vacinas disponíveis comercialmente.“Estamos há muitos anos investindo nessa plataforma e agora temos a oportunidade de aplicá-la na pandemia mais importante que o mundo já viu. Nós desenvolvemos um peptídio chave que se parece e imita a célula T. Para Sars-CoV-2 queremos ativar os dois braços da célula imune, B e T. Os resultados são que podemos gerar uma resposta imune muito ampla”, explicou Mei Mei.abre-vacinas-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacina-01-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacina-02-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacina-03-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacina-04-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacinas-05-1Gui Prímola/Arte Metrópolescards-vacina-06-1Gui Prímola/Arte Metrópoles0

Fonte: Metropoles